segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Cicloturismo - 50 anos na estrada

Ainda jovem em pose na Holanda
Em novembro de 1962, aos 22 anos, o metalúrgico ferramenteiro Heinz Stücke deixou sua cidade natal, Hövelhof, na Alemanha, montado em uma bicicleta de três marchas. Seu único desejo era deixar para trás o trabalho maçante na fábrica
e as pessoas mesquinhas com o pensamento pequeno de sua cidade.
Aquela, na verdade, era sua segunda incursão ciclística pelo mundo. Dois anos antes ele já havia viajado de bicicleta em busca de aventuras.
“Um ano e meio depois de partir decidi voltar a minha cidade para trabalhar, casar, ter filhos, enfim, essas coisas que se supõe que todos nós temos que fazer. Mas depois de um ano me dei conta de que aquilo não era o que eu queria, não era o que eu esperava da vida”, relata Stücke em seu site pessoal.
No dia 04 de novembro de 1962 ele pegou novamente sua bicicleta para uma viagem que ainda não terminou. Desde então, ele nunca mais voltou para Hövelhof.


Stücke, que comemora 72 anos neste dia 11 de janeiro, é sem dúvidas o cicloturista mais rodado do mundo, com quase 50 anos de estrada e aproximadamente 600 mil quilômetros pedalados – o que equivale a 15 voltas ao redor da Terra.
Reprodução / 600 mil quilômetros rodados: mapa mostra todos os lugares pelos quais Heinz Stücke já pedalou. 600 mil quilômetros rodados: mapa mostra todos os lugares pelos quais Heinz Stücke já pedalou.
Com uma média entre 80 km e 120 km pedalados por dia, o cicloturista já percorreu os cinco continentes e passou por 257 países, territórios, ilhas e colônias -- apenas para efeito de comparação, a ONU reconhece apenas 191 países independentes.
Para isso, Stücke usou 20 passaportes, 3 modelos de bicicletas – que são trocadas por uma nova a cada 4 mil quilômetros, em média --, e já teve a magrela roubada e recuperada em seis ocasiões.
“Por que deveria passar o resto da minha vida fazendo algo que não me interessava mais o mínimo simplesmente para sobreviver?”, questiona.
“Gostava de usar a bicicleta para me locomover, para fazer esporte, além de ser um meio de transporte barato. Por isso a bicicleta se converteu no melhor meio de transporte”, afirma.
Aos 72 anos Stücke continua sua jornada que começou há quase cinco décadas. Aos 72 anos Stücke continua sua jornada que começou há quase cinco décadas.

Para o ciclista, o veículo de duas rodas também exerce uma magia sobre as outras pessoas. “O simples fato de ir de bicicleta ajuda a te aproximar das pessoas; as pessoas pensam: se ele está de bicicleta, não deve ser um cara mal! A bicicleta acaba se convertendo em uma espécie de passaporte, um cartão de visitas. Graças à bicicleta e a boa vontade das pessoas, sempre encontrei ajuda e isso é muito importante para alguém como eu, que nunca leva dinheiro consigo”, relata.
Neste seu 72º aniversário, Heinz Stücke está pedalando pelo continente africano, próximo à África do Sul. Provavelmente será a última vez que sopra velinhas na estrada. Em novembro, quando completar 50 anos ininterruptos na estrada, ele pretende parar e organizar seus diários e fotos, que devem se transformar em um livro.
Antes disso, porém, o ciclista busca reconhecimento do Guiness World Record como a pessoa que já esteve em todos os países do mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário